domingo, 21 de novembro de 2010

Meu maestro, de novo!

O meu maestro está com o violão.
Eu, lá atrás, brincando de cantar.
Mesmo em meio à  correria da campanha, sempre arrumei algum tempinho para escrever algo aqui, em respeito aos meus poucos e bons leitores. Um texto curto, uma crônica, um causo... uma poesia.

Escrever é um dos grandes prazeres da minha vida. A escrita tem me dado grandes amigos e muitas alegrias. Hoje, mais uma vez, fui surpreendido por um presente do Luiz Theodoro, a quem carinhosamente chamo de "meu maestro soberano".

Tempos atrás, postei uma poesia minha aqui no blog. Não demorou muito, Lula me escreveu com uma pergunta instigante: Posso musicar essa pérola? Claro! Respondi, já cheio de orgulho. O tempo passou e a pegada da campanha me fez esquecer aquele pedido e, obviamente, o que poderia resultar dele.

Lula trabalhou em silêncio. E esta semana me mandou o resultado. Uma música linda. Uma melodia que, por vezes, lembra o melhor de Paulinho da Viola, misturado a um quê de Chico Buarque. Pode ser pretensão minha. Se for, me desculpem, mas não tenho como não lamber a "cria".

Obrigado, meu maestro! E é com o maior orgulho que divido com vocês, em primeira mão, a mais recente parceria de Lula Theodoro e Maranhão Viegas. Ah, com um detalhe, no post original, a poesia se chamava "Agulha e Linha". Lula rebatizou a canção.

Razão sem Paixão
Letra: Maranhão Viegas
Música: Luiz Theodoro

Cerzir a cortina da vida
vagar à inconstância do tempo
Que memória ainda tens?
De mim, da rua, do vento...

Ah, essa tua mania de invadir as tardes
de soprar as roupas brancas no varal
e sumir sem dar aviso
Lufada de ar perdida

Música que não se ouve mais
poesia da eternidade
razão sem paixão,
capaz!

6 comentários:

  1. obrigado a vc, parceiro!
    Xiii o nome original era "Agulha e Linha"?
    Bem, se eu rebatizei como "Razão sem Paixão"... podemos renegiciar o nome de nossa música...
    Então... que tal, então, "Agulha sem Razão"?
    ou "Paixão sem Linha"?... :)
    Aquele abraço!!!!

    ResponderExcluir
  2. Olha, moçada, tá tudo muito bom, tá tudo muito bem, mas acho que "a paixão tem razões que a própria razão desconhece". Tá batizada ao acaso. O que era Agulha e linha virou "Razão sem paixão"! E vamo simbora. Né isso, Maurilo?

    ResponderExcluir
  3. Pode lamber a "cria"à vontade... é da melhor qualidade!! Agora vê se libera pra gente baixar né?

    Bjks,

    ResponderExcluir
  4. "Razão sem Paixão", "Linha sem Agulha", "Paixão sem Linha", não importa, a letra é linda, gostaria de ouvi-la. Você tem me incentivado a vontar escrever, Júnior é testemunha do tanto que escrevia, lia prá ele, e, rasgava... Mas quem sabe a "poesia" virá, de novo, em breve. Por algum caminho naufragará no meu sangue, dirá mil bobagens. A caneta tomará posição, dolorido soldado, e as palavras se entrelaçarão mais inúteis do que nunca.
    Bjão.

    ResponderExcluir
  5. Oi Marcia, que bom saber que você vai voltar a escrever poesia. Não importa como, importa o que as palavras conseguem traduzir da nossa alma.

    Para ouvir a música é simples, bas clicar no sinal de "play" daquele arquivo que está logo abaixo da poesia. Se você tiver fones de ouvido, curtirá melhor os detalhes do arranjo. Aí, é só aumentar o volume e curtir.

    ResponderExcluir