sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Respirar bem fundo e devagar

Capa do Jornal Pasquim
dedicada a Binot
Sexta-feira. Prenúncio de sábado. Expectativa de domingo. É  bastante pra justificar a calma e o equilíbrio. Como na canção de Joyce, que marcou o fim dos anos 70 e o início da década de 80. Monsieur Binot é uma elegia à vida saudável, mas sobretudo, é uma homenagem da cantora àquele que foi considerado o guru de todo uma geração saúde, descolada e antenada que começou a se formar no fim do Século passado, no Brasil.

Victor Binot é um dos filhos da atriz Yara Salles. Irmão de Perry Salles, portanto cunhado de Vera Fischer, Victor preferiu a meditação ao estrelato. Aos vinte e poucos anos, foi para a Índia, viveu em templos budistas e voltou de lá como mestre Yoga.

Capa do primeiro disco
de Joyce
Montou uma escola de meditação e Yoga. Em pouco tempo, Binot virou moda entre os artistas. Gilberto Gil e Joyce, entre eles. Victor teve uma passagem curta por aqui. Morreu perto dos trinta, vítima da leucemia. Sua curta passagem, entretanto, ficou eternizada na música de Joyce, sucesso naquela época, que se tornou um clássico da MPB. Porque hoje é sexta. Monsieur Binot, na voz de Joyce.  



Monsieur Binot

Olha aí, monsieur Binot
Aprendi tudo o que você me ensinou
Respirar bem fundo e devagar
Que a energia está no ar
Olha aí, meu professor,
Também no ar é que a gente encontra o som
E num som se pode viajar
E aproveitar tudo o que é bom
Bom é não fumar
Beber só pelo paladar
Comer de tudo que for bem natural
E só fazer muito amor
Que amor não faz mal

Então, olha aí, monsieur Binot
Melhor ainda é o barato interior
O que dá maior satisfação
É a cabeça da gente, a plenitude da mente
A claridade da razão
E o resto nunca se espera
O resto é próxima esfera
O resto é outra encarnação!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário