quarta-feira, 24 de julho de 2013

Quem me levará...

Dominguinhos
Tempos atrás, Mauro di Deus me deu um presente - O Milagre de Santa Luzia. Um documentário sobre a safona e sua influência na música brasileira, de norte a sul. O documentário é também o primeiro longa metragem dirigido por Sérgio Rosenblit, e é conduzido de forma magistral por Dominguinhos.

Havia 30 anos, Dominguinhos não viajava de avião - ele morria de medo e fazia tudo o que fosse preciso para evitar as viagens aéreas. No filme, ele conduz sua caminhonete branca, Brasil afora, conversando e tocando com gentes de todas as regiões, sanfoneiros do pantanal, dos pampas, das geraes, do interior e da cidade.

O filme é uma ode à musicalidade mais telúrica que esse país já produziu. É também uma bela homenagem e reconhecimento ao trabalho daquele que foi considerado pelo próprio Luiz Gonzaga, o  Rei do Baião o seu sucessor natural. Gonzaga foi quem batizou Dominguinhos.

Ontem, Dominguinhos perdeu uma longa briga que travava contra o câncer. Nos deixou. Hoje, em algum lugar do universo, os dois devem estar se encontrando, ao som da sanfona.

Ah, ía me esquecendo. O título do documentário - O Milagre de Santa Luzia - faz uma homenagem ao mestre Lua, Luiz Gonzaga, nascido no dia da Santa e, por isso, batizado com o seu nome.



Nenhum comentário:

Postar um comentário